Skip to content

HTTPS clone URL

Subversion checkout URL

You can clone with HTTPS or Subversion.

Download ZIP
Browse files

Updated to the new version.

  • Loading branch information...
commit bf34f54208232f56044752c93274c3b79ce61691 1 parent ea87612
villate authored
Showing with 563 additions and 522 deletions.
  1. +563 −522 lang/pt/docs/install.html
1,085 lang/pt/docs/install.html
View
@@ -1,523 +1,564 @@
-<!DOCTYPE html PUBLIC "-//W3C//DTD XHTML 1.0 Transitional//EN"
- "http://www.w3.org/TR/xhtml1/DTD/xhtml1-transitional.dtd">
-<html xmlns="http://www.w3.org/1999/xhtml">
-<head>
-
-<title>Documentação do Moodle: Instalação Básica</title>
-
-<link rel="stylesheet" href="docstyles.css" type="TEXT/CSS" />
-
-<meta http-equiv="Content-Type" content="text/html; charset=iso-8859-1" />
-
-<style type="text/css">
-<!--
-.style3 {color: #660000}
--->
-</style>
-</head>
-
-<body>
-<h1>Instalação do Moodle</h1>
-<h2>Não tenha medo! <img src="http://moodle.org/pix/s/smiley.gif" /></h2>
-<blockquote>
-<p>Este guia explica como instalar Moodle pela primeira vez. Alguns dos
-passos são explicados com maior detalhe, para abrangir todas as pequenas
-diferenças entre diferentes configurações dos navegadores, fazendo este
-documento parecer comprido e complicado. Não se deixe desanimar por
-isso - eu costumo instalar o Moodle em poucos minutos!</p>
-<p>Se tiver problemas, por favor leia este documento cuidadosamente. Se
-ainda tiver problemas, pode pedir ajuda em <a target="_blank"
-href="http://moodle.org/help">"Moodle Help"</a>.</p>
-<p>Outra possibilidade é entrar em contacto com alguma companhia de
-<a target="_blank" href="http://moodle.com/hosting/">alojamento de servidores
-Web</a>, que faça a muntenção do Moodle para si, para que se possa
-concentrar nos aspectos didácticos sem perde tempo com problemas técnicos!
-</p>
-<p>Secções neste documento:</p>
- <ol>
- <li><a href="#requirements">Requisitos</a></li>
- <li><a href="#downloading">Obtenção do código do Moodle</a></li>
- <li><a href="#site">Estrutura do sítio</a></li>
- <li><a href="#installer">Execução do script de instalação para
- criar config.php</a>
- <ul>
- <li><a href="#webserver">Verificação da configuração do servidor Web</a></li>
- <li><a href="#database">Criação de uma base de dados</a></li>
- <li><a href="#data">Criação de um directório de dados</a></li>
- </ul>
- </li>
- <li><a href="#admin">Visita à página de administração para continuar a
- configuração</a></li>
- <li><a href="#cron">Configuração do cron</a></li>
- <li><a href="#course">Criação de uma nova disciplina</a></li>
- </ol>
-</blockquote>
-<h3 class="sectionheading"><a name="requirements"></a>1. Requisitos</h3>
-<blockquote>
- <p>Moodle é desenvolvido principalmente em Linux, usando Apache, MySQL e
- PHP (a combinação comumente designada de plataforma LAMP), mas também é
- testado regularmente com PostgreSQL e nos sistemas operativos Windows XP,
- Mac OS X e Netware 6.</p>
- <p>Os requisitos do Moodle são:</p>
- <ol>
- <li>Servidor Web. A maioria das pessoas usam
- <a href="http://www.apache.org/" target="_blank">Apache</a>, mas Moodle
- deveria funcionar com qualquer servidor Web que suporte PHP, como, por
- exemplo, IIS nas plataformas Windows.</li>
- <li>A linguagem <a href="http://www.php.net/" target="_blank">PHP</a>
- (versão 4.1.0 ou superior). A partir de Moodle 1.4 já é possível usar PHP 5.
- </li>
- <li>Servidor de bases de dados: Moodle funciona perfeitamente com
- <a href="http://www.mysql.com/" target="_blank">MySQL</a>
- ou <a href="http://www.postgresql.org/" target="_blank">PostgreSQL</a>
- que são as duas opções recomendadas em Moodle.</li>
- </ol>
- <p>A maior parte dos fornecedores de serviços Web incluim todo esse software.
- Se o seu fornecedor for um dos poucos que não inclui essas opções,
- pergunte porque não o fazem e considere uma mudança de fornecedor.</p>
- <p>Se quiser usar Moodle no seu próprio computador e a instalação de todo
- esse software parece-lhe complicada, consulte o nosso guia:
- <a href="http://moodle.org/doc/?file=installamp.html">Instalação de
- Apache, MySQL e PHP</a>. Nesse guia encontrará instrucções passo a passo
- para as plataformas mais populares.</p>
-</blockquote>
-<h3 class="sectionheading"><a name="downloading"></a>2. Obtenção do código do Moodle</h3>
-<blockquote>
- <p>Existem duas formas de obter o Moodle, num ficheiro comprimido ou através
- do CVS. Essas duas formas explicam-se com mais detalhe na página web:
- <a href="http://moodle.org/download/" target="_blank">http://moodle.org/download/</a></p>
- <p>Depois de copiar e desempacotar o arquivo, ou depois de ter obtido uma
- cópia do CVS, deverá ter um directório "moodle", que contém
- vários ficheiros e subdirectórios.</p>
- <p>Pode transferir esse directório directamente para o directório raiz do
- seu servidor web, e nesse caso o seu sítio ficará disponível em
- <b>http://o_seu_servidor/moodle</b>, ou pode copiar o conteúdo do
- directório moodle directamente para o directório raiz do seu servidor web,
- ficando a sua instalação do Moodle dierectamente em
- <b>http://o_seu_servidor</b>.</p>
- <p>Se estiver a copiar o Moodle para o seu computador para depois transferí-lo
- para o servidor Web, é melhor enviar o arquivo completo num único ficheiro
- e depois desempacotá-lo no servidor Web. A maior parte das interfaces
- usadas nos serviços de alojamento de páginas web, por exemplo o Cpanel,
- permitem-lhe descomprimir arquivos com o "File Manager".</p>
-</blockquote>
-<h3 class="sectionheading"><a name="site"></a>3. Estrutura do sítio</h3>
-<blockquote>
- <p>Pode passar à frente desta secção, mas fica já aqui um sumário do conteúdo
- do directório moodle, para o ajudá-lo a se orientar:</p>
- <blockquote>
- <table>
- <tr>
- <td width="130" valign="top">config.php</td>
- <td valign="top">-</td>
- <td valign="top">
- contém as configurações básicas. Este ficheiro não vem em Moodle,
- mas é criado durante o processo de instalação.
- </td>
- </tr>
- <tr>
- <td valign="top">install.php</td>
- <td valign="top">-</td>
- <td valign="top">o scritp que deverá executar para criar config.php </td>
- </tr>
- <tr>
- <td valign="top">version.php</td>
- <td valign="top">-</td>
- <td valign="top">
- define a versão actual do código do Moodle
- </td>
- </tr>
- <tr>
- <td valign="top">index.php</td>
- <td valign="top">-</td>
- <td valign="top">
- a página principal do sítio
- </td>
- </tr>
- </table>
- <ul>
- <li>admin/ - código para administração de todo o servidor </li>
- <li>auth/ - módulos para autenticação de utilizadores </li>
- <li>blocks/ - módulos para os pequenos blocos laterais em várias páginas</li>
- <li>calendar/ - todo o código para mostrar e gerir calendários</li>
- <li>course/ - código para mostrar e gerir disciplinas </li>
- <li>doc/ - documentação e ajuda do Moodle (esta página incluida)</li>
- <li>files/ - código para mostrar e gerir ficheiros enviados</li>
- <li>lang/ - mesnagens de texto em diferentes línguas; um diretório por
- cada língua</li>
- <li>lib/ - librarias do código básico do Moodle</li>
- <li>login/ - código para criação e acesso às contas de utilizadores </li>
- <li>mod/ - todos os módulos de disciplina no Moodle</li>
- <li>pix/ - imagens genéricas do sítio</li>
- <li>theme/ - pacotes temáticos (theme/skins) para mudar a aparência do
- sítio</li>
- <li>user/ - código para mostrar e gerir a lista de utilizadores</li>
- </ul>
- </blockquote>
-</blockquote>
-<h3 class="sectionheading"><a name="installer"></a>4. Execução do script de instalação
-para criar config.php </h3>
-<blockquote>
- <p>Para executar o script de instalção (install.php), simplesmente tente aceder
- à página principal da sua instalação do Moodle, através de um "web browser",
- ou entre em <strong>http://o_seu_servidor/install.php</strong> directamente.</p>
- <p>(O instalador tentará instalar uma "cookie" para a sessão. Se lhe aparecer
- uma caixa de advertência no seu browser, deverá aceptar essa cookie!)</p>
- <p>Moodle detectará que é preciso fazer a configuração e conduzí-lo-a através
- de várias páginas que lhe ajudarão a criar um novo ficheiro de configuração
- <strong>config.php</strong>. Quando o processo for concluido, Moodle tentará
- colocar o ficheiro no local apropriado, se não conseguir poderá carregar num
- botão para copiar o ficheiro preparado pelo instalador e enviá-lo logo para
- o directório principal do Moodle, no seu servidor, dándo-lhe o nome
- config.php</p>
- <p>Ao longo do processo o instalador testará o ambiente de trabalho do seu
- servidor Web, dando-lhe dicas para resolver quaisquer problemas que encontrar.
- Para a maior parte dos problemas essas dicas deverão ser suficiente, mas se
- ficar num impasse, procure informação mais para a frente neste documento, sobre
- como resolver alguns problemas que mais comumente dificultam a instalação.
- </p>
-</blockquote>
-<h3 class="sectionheading"><a name="webserver" id="webserver"></a>4.1 Verificação
-da configuração do servidor Web</h3>
-<blockquote>
- <p>O primeiro que deverá conferir é que o seu servidor web está configurado
- para usar index.php como nome de página por omissão (poderá também
- aceitar outros nomes alternativos, por exemplo, index.html, default.htm,
- etc).</p>
- <p>Em Apache, isso é feito usando o comando DirectoryIndex no seu ficheiro
- de configuração httpd.conf. O meu normalmente contém o seguinte:</p>
- <blockquote>
- <pre><strong>DirectoryIndex</strong> index.php index.html index.htm </pre>
- </blockquote>
- <p>Verifique que index.php esteja entre a lista (e preferivelmente mais
- perto do início da lista, para aumentar a eficiência).</p>
- <p>A seguir, <b>se estiver a usar Apache 2</b>, deverá activar a variável
- <i>AcceptPathInfo</i>, que permitirá a passagem de argumentos na forma
- http://servidor/ficheiro.php/arg1/arg2.
- Isso é esencial para poder permitir apontadores relativos entre os
- seus recursos, e também para melhorar o desempenho para os utilizadores
- do seu sítio Moodle. Poderá activar essa variável juntado a linha que
- se segue ao seu ficheiro httpd.conf</p>
- <blockquote>
- <pre><strong>AcceptPathInfo</strong> on </pre>
- </blockquote>
- <p>Em terceiro lugar, Moodle precisa da activação de algumas opções do PHP
- para funcionar correctamente. <b>Na maior parte dos servidores essas
- opções já estarão activas por omissão.</b> No entanto, alguns servidores
- PHP (especialmente nas versões mais recentes) poderão estar configuradas
- em forma diferente. Essas opções activam-se no ficheiro de configuração
- do PHP (normalmente o ficheiro php.ini):</p>
- <blockquote>
- <pre>magic_quotes_gpc = 1 (preferred but not necessary)
-magic_quotes_runtime = 0 (necessary)
-file_uploads = 1
-session.auto_start = 0
-session.bug_compat_warn = 0
-</pre>
- </blockquote>
- <p>Se não tiver acesso a httpd.conf ou php.ini no seu servidor, ou se estiver
- a usar outras aplicções que exigem outra configuração diferente, não se
- preocupe pois poderá ainda INVALIDAR a configuração global.</p>
- <p>Para o conseguir, deverá criar um ficheiro <b>.htaccess</b> no
- directório principal do Moodle, com as definições que precisa. Isso só
- funcionará no Apache, e quando a opção Overrides for permitida na
- configuração global do servidor.
- O conteúdo de .htacces será:</p>
- <blockquote>
- <pre>
-DirectoryIndex index.php index.html index.htm
-
-<IfDefine APACHE2>
- <b>AcceptPathInfo</b> on
-</IfDefine>
-
-php_flag magic_quotes_gpc 1
-php_flag magic_quotes_runtime 0
-php_flag file_uploads 1
-php_flag session.auto_start 0
-php_flag session.bug_compat_warn 0</pre>
- </blockquote>
- <p>Poderá fazer outras coisas como, por exemplo, limitar o tamanho máximo
- dos ficheiros enviados para o Moodle:</p>
- <blockquote>
- <pre>
-LimitRequestBody 0
-php_value upload_max_filesize 2M
-php_value post_max_size 2M
- </pre>
- </blockquote>
- <p>O mais fácil será copiar o ficheiro tipo em <strong>lib/htaccess</strong>
- e editá-lo para o adaptar às suas necessidades (o ficheiro contém algumas dicas
- adicionais). Por exemplo, num shell do Unix:</p>
- <blockquote>
- <pre>cp lib/htaccess .htaccess</pre>
- </blockquote>
-</blockquote>
-<h3 class="sectionheading"><a name="database"></a>4.2. Criação de uma base de dados</h3>
-<blockquote>
- <p>Terá que criar uma base de dados (por exemplo "<em>moodle</em>"), vazia, no seu
- sistema de bases de dados, junto com um utilizador especial (por exemplo
- "moodleuser") que tenha acesso a essa base de dados (e a nenhuma outra).
- Poderá usar o utilizador "root" se quiser, mas isso não é aconselhável
- para um sistema activo: se os "crackers" conseguirem descobrir a
- contrasenha de acesso à base de dados, todo o seu servidor de bases de
- dados ficará em risco, em vez de por em risco unicamente uma base de
- dados.
- </p>
-<p>Os comandos seguintes são um exemplo da criação da base de dados em MySQL: </p>
- <pre>
- # mysql -u root -p
- > CREATE DATABASE moodle;
- > GRANT SELECT,INSERT,UPDATE,DELETE,CREATE,DROP,INDEX,ALTER ON moodle.*
- TO moodleuser@localhost IDENTIFIED BY 'seupassword';
- > quit
- # mysqladmin -p reload
-</pre>
- <p>E um exemplo para PostgreSQL: </p>
- <pre>
- # su - postgres
- > psql -c "create user moodleuser createdb;" template1
- > psql -c "create database moodle;" -U moodleuser template1
- > psql -c "alter user moodleuser nocreatedb;" template1
-</pre>
- <p>(Se usar MySQL, recomendo vivamente o uso de <a href="http://phpmyadmin.sourceforge.net/">phpMyAdmin</a>
- para gerir as suas bases de dados - poderá gerir a base de dados usando
- uma interface Web).</p>
- <p>A partir da versão 1.0.8, Moodle aceita prefixos de tabelas, para poder
- partilhar uma base de dados com tabelas SQL de outras aplicações.</p>
-</blockquote>
-
-<h3 class="sectionheading"><a name="data"></a>4.3 Criação de um directório de dados</h3>
-<blockquote>
- <p>Moodle precisa de algum espaço no seu disco rígido para armazenar
- ficheiros enviados, por exemplo, os documentos associados a uma disciplina
- e as fotografias dos utilizadores.</p>
- <p>Crie um directório para esse propósito em alguma parte do seu sistema
- de ficheiros. Por razões de segurança, é conveniente que esse directório
- NÂO seja acessível directamente através da web. A forma mais simples de
- garantir isso, será criar o directório por FORA do directório raiz do seu
- servidor Web; se assim não for, terá que o proteger criando nele um
- ficheiro .htaccess com o seguinte conteúdo:
- <blockquote>
-
- <pre>deny from all</pre>
- </blockquote>
- <p>Para garantir que Moodle poderá gravar nesse directório os ficheiros
- recebidos, confira que o servidor web (por exemplo o Apache) tenha
- autorização para escrever nesse directório. Em plataformas Unix, isso
- implica mudar o propietário do directório para algo como "nobody"
- ou "apache".</p>
- <p>Em muitos servidores web partilhados, provavelmente terá que prohibir
- o acesso a todos os ficheiros por parte do seu "grupo" (para evitar
- que outros utilizadores do servidor possam consultar ou modificar os seus
- ficheiros), mas permitir acesso de leitura/escritura para outros
- utilizadores (assim o servidor Web terá acesso aos seus ficheiros).
- Consulte com o seu administrador do servidor Web se tiver dificuldades
- em configurar o seu directório em forma segura.</p>
-</blockquote>
-
-<h3 class="sectionheading"><a name="admin"></a>5. Visita à página de
-administração para continuar a configuração</h3>
-<blockquote>
- <p>A página de adminstração já deverá estar activa em:
- <u>http://exemplo.com/moodle/admin</u>. De qualquer forma, se neste
- momento tentar aceder à página principal do seu servidor moodle, será
- redireccionado automaticamente para essa página. A primeira vez que
- entrar na página de administração, ser-lhe-á apresentada a licença GPL
- qu deverá aceitar para poder continuar com a instalação.</p>
- <p>(Moodle também enviará algumas "cookies" para o seu navegador web. Se
- o seu navegador estiver configurado para perguntar antes de aceitar cookies,
- deverá aceitá-las ou Moodle não funcionará conrrectamente.)</p>
- <p>A seguir Moodle procederá a configurar a sua base de dados criando as
- tabelas que serão usadas para guardar os dados. Primeiro são criadas as
- tabelas principais. Deverá ver vários comandos SQL seguidos por mensagens
- de diagnóstico (a verde ou vermelho) do género de:</p>
- <blockquote>
- <p>CREATE TABLE course ( id int(10) unsigned NOT NULL auto_increment, category
- int(10) unsigned NOT NULL default '0', password varchar(50) NOT NULL default
- '', fullname varchar(254) NOT NULL default '', shortname varchar(15) NOT
- NULL default '', summary text NOT NULL, format tinyint(4) NOT NULL default
- '1', teacher varchar(100) NOT NULL default 'Teacher', startdate int(10)
- unsigned NOT NULL default '0', enddate int(10) unsigned NOT NULL default
- '0', timemodified int(10) unsigned NOT NULL default '0', PRIMARY KEY (id))
- TYPE=MyISAM</p>
- <p><font color="#006600">SUCCESS</font></p>
- <p>...and so on, followed by: <font color="#006600">Main databases set up
- successfully.</font> </p>
- </blockquote>
- <p>Se não aparecerem essas mensagens, existirá algum problema com a base de
- dados ou com a configuração que definiu em config.php. Verifique que PHP
- não esteja em "Modo seguro" (Safe Mode. Alguns servidores comerciais
- costumam vir em modo seguro). Pode verificar as variáveis do PHP criando
- um pequeno ficheiro que contenha
-
-e olhando para ele
- usando o seu navegador we. Verifique o resultado e tente acceder novamente
- à página de administração.</p>
- <p>Avance até o fim da página e carregue no botão "Continuar".</p>
- <p>A seguir verá uma outra página semelhante que configura as tabelas
- usadas por cada módulo do Moodle. Igual que no caso anterior, todas as
- mensagens de diagnóstico deverão aparecer em <font color="#006600">green</font>.</p>
- <p>Avance até o fim da página e carregue no botão "Continuar".</p>
- <p>Deverá agora aparecer um formulário onde pode definir mais variáveis
- de configuração para a sua instalação como, por exemplo, a língua usada
- por omissão, o nome do servidor SMTP, etc. Não se preocupe muito em tentar
- conifugar tudo à primeira vez - poderá regressar a esta página sempre
- que quiser, através da interface de administração, e experimentar
- diferentes configurações. Avance até o fim da página e carregue no botão
- "Gravar alterações".</p>
- <p>Se não conseguir avançar para a frente dessa página (e unicamente nesse
- caso), provavelmente o seu servidor tem o problema que eu chamo "referidor
- defeituoso" ("buggy referrer"). Isso é fácil de corrigir: simplesmente
- desactive a opção de "formulários seguros" (secureforms"),
- e tente novamente.</p>
- <p>A página seguinte é um formulário onde pode definir parâmetros para o
- seu sítio Moodle e para a página principal, tais como o nome, formato,
- descrição, etc. Complete esse forumlário (poderá sempre regressar mais
- tarde e fazer alterações) e carregue em "Gravar alterações".</p>
- <p>Finalmente, ser-lhe-á pedido para criar um utilizador administrador de
- alto nivel para acesso futuro às páginas de administração. Complete a
- informação com o seu próprio nome, endereço de correio electrónico, etc
- e carregue em "Gravar alteraçãoes". Não todos os campos são
- indispensáveis, mas se esquecer algum campo importante, voltará a aparecer
- o formulário.
- </p>
- <blockquote>
- <blockquote>
- <blockquote>
- <blockquote>
- <blockquote>
- <p><strong>Tenha o cuidade de lembrar o nome de utilizador e
- a palavra chave que seleccionou para o administrador, já
- que eles serão necessários para acceder as páginas de
- administração em ocasiões futuras.</strong></p>
- </blockquote>
- </blockquote>
- </blockquote>
- </blockquote>
- </blockquote>
- <p>(Se por qualquer razão a sua instalação for interrompida, ou aparece algum
- erro que lhe impeça entrar com a palavra chave do administrados, normalmente
- poderá aceder com o nome de administrador por omissão,
- "<strong>admin</strong>", com palavra chave
- "<strong>admin</strong>".)</p>
- <p>Uma vez concluido esse processo com éxito, ser-lhe-á apresentada a página
- principal do seu sítio. Repare no menu de administração no lado esquerdo
- da página (as mesmas alinhas no menu aparecem na página de administração)
- - esse menu só é vissível para si por ter entrado como o administrador.
- todas as configurações que tenha que fazer a partir de agora poderão
- ser feitas a partir desse menu; por exemplo:</p>
- <ul>
- <li>criação e eliminação de disciplinas</li>
- <li>criação e modificação de contas de utilizadores</li>
- <li>gestão de contas de docentes</li>
- <li>mudança de opções globais como o tema, língua, etc</li>
- </ul>
-</blockquote>
-<p> </p>
-<h3 class="sectionheading"><a name="cron"></a>6. Configuração do cron</h3>
-<blockquote>
- <p>Algum dos módulos do Moodle precisam de verificações frequentes para
- realizar algumas tarefas. Por exemplo, Moodle precisa verificar os
- foruns de discusão para saber se é preciso enviar por correio cópias de
- novas contribuições, aos assinantes do forum.</p>
- <p>O script que executa essas tarefas de rutina encontra-se no directório
- admin, com o nome cron.php. No entanto, ele não pode arrancar por si
- próprio, mas será preciso instalar um mecanismo para que o script seja
- executado a intervalos regulares (por exemplo, cada 5 ou 10 minutos).
- Mecanismo esse que constitui as pulsações necessárias para que o script
- possa executar as tarefas definidas por cada módulo.</p>
- <p>De salientar que a máquina que execute o cron <b>não tem que ser a
- mesma máquina onde Moodle está instalado</b>. Por exemplo, se tiver
- um fornecedor web com limitações, que não tem o programa cron, poderá
- decidir executar cron em outra máquina ou até no seu computador em casa.
- O único que interessa é que o ficheiro cron.php seja invocado regularmente.
- </p>
- A carga imposta por esse script não é muito elevada, de maneira que 5
- minutos é um intervalo de tempo razoável, mas se estiver priocupado
- ao respeito pode reduzir o intervalo para 15 ou até 30 minutos. Convém
- não usar intervalos de tempo muito compridos, já que o atraso no envio
- de mensagens de correio pode diminuir o nivel de actividade da disciplina.
- </p>
- <p>Primeiro que tudo, teste o script executando-o directamente a partir
- do seu navegador:</p>
- <blockquote>
- <pre>http://exemplo.com/moodle/admin/cron.php</pre>
- </blockquote>
- <p>A seguir, tem que instalar algum mecanismo para executar o script
- automaticamente, a intervalos regulares.</p>
- <h4>Execução do script a partir da linha de comandos</h4>
- <p>Pode invocar a página a partir da linha de comandos, tal como fez
- no exemplo acima. Por exemplo, pode usar algum programa do Unix como
- 'wget':</p>
- <blockquote>
- <pre>wget -q -O /dev/null http://exemplo.com/moodle/admin/cron.php</pre>
- </blockquote>
- <p>Repare nesse exemplo que a saida do comando é deitada fora (para
- /dev/null).</p>
- <p>A mesma coisa usando lynx:</p>
- <blockquote>
- <pre>lynx -dump http://exemplo.com/moodle/admin/cron.php > /dev/null</pre>
- </blockquote>
- <p>Em forma alternativa, pode usar uma versão autonoma do PHP, compilada
- para poder ser executada directamente a partir da linha de comandos. A
- vantagem em fazer isso será que os estatísticas de acesso a o servidor
- não serão preenchidas com pedidos constantes do script cron.php. A
- desvantagem é que precisará ter acesso a uma versão de PHP para linha de
- comandos.</p>
- <blockquote>
- <pre>/opt/bin/php /web/moodle/admin/cron.php
-
-(Windows) C:apachephpphp.exe C:apachehtdocsmoodleadmincron.php
-</pre>
- </blockquote>
- <h4>Execução automatica do script cada 5 minutos</h4>
- <p><b>Em sistemas Unix</b>: Use <b>cron</b>. Edite a sua configuração do
- cron, a partir da linha de comando usando "crontab -e" e
- adicione uma linha que diga:</p>
- <blockquote>
- <pre>*/5 * * * * wget -q -O /dev/null http://exemplo.com/moodle/admin/cron.php</pre>
- </blockquote>
- <p>Usualmente, o comando "contrab" abrirá o editor 'vi'. No editor 'vi'
- acceda ao modo de inserção carregando na tecla do "i", escreva a linha
- que acabamos de sugerir, e finalmente saia do modo de inserção carregando
- em ESC. Pode gravar e sair se escrever ":wq", ou sair sem gravar nenhuma
- alteração, se escrever ":q!" (sem as aspas).</p>
- <p><b>Em sistemas Windows</b>: A forma mais fácil consiste em usar este
- pequeno pacote: <a href="http://moodle.org/download/moodle-cron-for-windows.zip" title="Click ara
- copiar este progama (150k)" target="_blank">moodle-cron-for-windows.zip</a>
- que torna esse proceso muito simples. Pode também explorar a possibilidade
- de usar funcionalidades próprias do Windows para Tarefas Programadas.</p>
- <p>Em servidores web de fornecedores de serviços: O painel de controlo do
- seu sistema de web poderá ter uma página que lhe permita programar esse
- procedimento. Pergunte pormenores ao seu administrador.</p>
- <p></p>
-</blockquote>
-<h3 class="sectionheading"><a name="course"></a>7. Criação de uma nova disciplina</h3>
-<blockquote>
- <p>Agora que a sua instalação do Moodle funciona adequadamente, poderá criar
- uma disciplina.</p>
- <p>Seleccione "Criar uma noa disciplina" a partir da página de
- administração (ou a partir dos enlaces na página principal).</p>
- <p>Complete o formulário, prestantdo especial atenção para o formato da
- disciplina. Não tem que se preocupar muito com os pormenores neste
- momento, já que todo poderá ser alterado mais tarde pelos docentes
- da disciplina.</p>
- <p>Carregue em "Gravar alterações", e será conduzido para
- um novo formulário onde poderá designar docentes para a disciplina.
- Esse formulário só permite adicionar contas de utilizadores já existentes
- - se quiser criar novas contas de professores, peça ao próprio docente
- para criar uma conta pessoal (ver a página de acesso), ou criar uma conta
- para ele por meio da opção "Adicionar novo utilizador" na página
- de administração.</p>
- <p>Uma vez criada, a disciplna está pronta para ser modificada e estará
- acessível através sa secção de "Disciplinas" na página
- principal.</p>
- <p>Para mais pormenores sobre o processo de criação de disciplinas,
- consulte o "<a href="./?file=teacher.html">Manual do Professor</a>"</p>
-</blockquote>
-<p> </p>
-<p align="center"><font size="1"><a href="." target="_top">Documentação de
-Moodle</a></font></p>
-<p align="center"><font size="1">Version: $Id$</font></p>
+<!DOCTYPE html PUBLIC "-//W3C//DTD XHTML 1.0 Transitional//EN"
+ "http://www.w3.org/TR/xhtml1/DTD/xhtml1-transitional.dtd">
+<html xmlns="http://www.w3.org/1999/xhtml">
+<head>
+
+<title>Documentação do Moodle: Instalação Básica</title>
+
+<link rel="stylesheet" href="docstyles.css" type="TEXT/CSS" />
+
+<meta http-equiv="Content-Type" content="text/html; charset=iso-8859-1" />
+
+<style type="text/css">
+<!--
+.style3 {color: #660000}
+-->
+</style>
+</head>
+
+<body>
+<h1>Instalação do Moodle</h1>
+<h2>Não tenha medo! <img src="../pix/s/smiley.gif" /></h2>
+<blockquote>
+<p>Este guia explica como instalar Moodle pela primeira vez. Alguns dos
+passos são explicados com maior detalhe, para abrangir todas as pequenas
+diferenças entre diferentes configurações dos navegadores, fazendo este
+documento parecer comprido e complicado. Não se deixe desanimar por
+isso - eu costumo instalar o Moodle em poucos minutos!</p>
+<p>Se tiver problemas, por favor leia este documento cuidadosamente. Se
+ainda tiver problemas, pode pedir ajuda em <a target="_blank"
+href="http://moodle.org/help">"Moodle Help"</a>.</p>
+<p>Outra possibilidade é entrar em contacto com alguma companhia de
+<a target="_blank" href="http://moodle.com/hosting/">alojamento de servidores
+Web</a>, que faça a muntenção do Moodle para si, para que se possa
+concentrar nos aspectos didácticos sem perde tempo com problemas técnicos!
+</p>
+<p>Secções neste documento:</p>
+ <ol>
+ <li><a href="#requirements">Requisitos</a></li>
+ <li><a href="#downloading">Obtenção do código do Moodle</a></li>
+ <li><a href="#site">Estrutura do sítio</a></li>
+ <li><a href="#installer">Execução do script de instalação para
+ criar config.php</a>
+ <ul>
+ <li><a href="#webserver">Verificação da configuração do servidor Web</a></li>
+ <li><a href="#database">Criação de uma base de dados</a></li>
+ <li><a href="#data">Criação de um directório de dados</a></li>
+ </ul>
+ </li>
+ <li><a href="#admin">Visita à página de administração para continuar a
+ configuração</a></li>
+ <li><a href="#cron">Configuração do cron</a></li>
+ <li><a href="#course">Criação de uma nova disciplina</a></li>
+ </ol>
+</blockquote>
+<h3 class="sectionheading"><a name="requirements"></a>1. Requisitos</h3>
+<blockquote>
+ <p>Moodle é desenvolvido principalmente em Linux, usando Apache, MySQL e
+ PHP (a combinação comumente designada de plataforma LAMP), mas também é
+ testado regularmente com PostgreSQL e nos sistemas operativos Windows XP,
+ Mac OS X e Netware 6.</p>
+ <p>Os requisitos do Moodle são:</p>
+ <ol>
+ <li>Servidor Web. A maioria das pessoas usam
+ <a href="http://www.apache.org/" target="_blank">Apache</a>, mas Moodle
+ deveria funcionar com qualquer servidor Web que suporte PHP, como, por
+ exemplo, IIS nas plataformas Windows.</li>
+ <li>A linguagem <a href="http://www.php.net/" target="_blank">PHP</a>
+ (versão 4.1.0 ou superior). A partir de Moodle 1.4 já é possível usar PHP 5.
+ </li>
+ <li>Servidor de bases de dados: Moodle funciona perfeitamente com
+ <a href="http://www.mysql.com/" target="_blank">MySQL</a>
+ ou <a href="http://www.postgresql.org/" target="_blank">PostgreSQL</a>
+ que são as duas opções recomendadas em Moodle.</li>
+ </ol>
+ <p>A maior parte dos fornecedores de serviços Web incluim todo esse software.
+ Se o seu fornecedor for um dos poucos que não inclui essas opções,
+ pergunte porque não o fazem e considere uma mudança de fornecedor.</p>
+ <p>Se quiser usar Moodle no seu próprio computador e a instalação de todo
+ esse software parece-lhe complicada, consulte o nosso guia:
+ <a href="index.php?file=installamp.html">Instalação de
+ Apache, MySQL e PHP</a>. Nesse guia encontrará instrucções passo a passo
+ para as plataformas mais populares.</p>
+</blockquote>
+<h3 class="sectionheading"><a name="downloading"></a>2. Obtenção do código do Moodle</h3>
+<blockquote>
+ <p>Existem duas formas de obter o Moodle, num ficheiro comprimido ou através
+ do CVS. Essas duas formas explicam-se com mais detalhe na página web:
+ <a href="http://moodle.org/download/" target="_blank">http://moodle.org/download/</a></p>
+ <p>Depois de copiar e desempacotar o arquivo, ou depois de ter obtido uma
+ cópia do CVS, deverá ter um directório "moodle", que contém
+ vários ficheiros e subdirectórios.</p>
+ <p>Pode transferir esse directório directamente para o directório raiz do
+ seu servidor web, e nesse caso o seu sítio ficará disponível em
+ <b>http://o_seu_servidor/moodle</b>, ou pode copiar o conteúdo do
+ directório moodle directamente para o directório raiz do seu servidor web,
+ ficando a sua instalação do Moodle dierectamente em
+ <b>http://o_seu_servidor</b>.</p>
+ <p>Se estiver a copiar o Moodle para o seu computador para depois transferí-lo
+ para o servidor Web, é melhor enviar o arquivo completo num único ficheiro
+ e depois desempacotá-lo no servidor Web. A maior parte das interfaces
+ usadas nos serviços de alojamento de páginas web, por exemplo o Cpanel,
+ permitem-lhe descomprimir arquivos com o "File Manager".</p>
+</blockquote>
+<h3 class="sectionheading"><a name="site"></a>3. Estrutura do sítio</h3>
+<blockquote>
+ <p>Pode passar à frente desta secção, mas fica já aqui um sumário do conteúdo
+ do directório moodle, para o ajudá-lo a se orientar:</p>
+ <blockquote>
+ <table>
+ <tr>
+ <td width="130" valign="top">config.php</td>
+ <td valign="top">-</td>
+ <td valign="top">
+ contém as configurações básicas. Este ficheiro não vem em Moodle,
+ mas é criado durante o processo de instalação.
+ </td>
+ </tr>
+ <tr>
+ <td valign="top">install.php</td>
+ <td valign="top">-</td>
+ <td valign="top">o scritp que deverá executar para criar config.php </td>
+ </tr>
+ <tr>
+ <td valign="top">version.php</td>
+ <td valign="top">-</td>
+ <td valign="top">
+ define a versão actual do código do Moodle
+ </td>
+ </tr>
+ <tr>
+ <td valign="top">index.php</td>
+ <td valign="top">-</td>
+ <td valign="top">
+ a página principal do sítio
+ </td>
+ </tr>
+ </table>
+ <ul>
+ <li>admin/ - código para administração de todo o servidor </li>
+ <li>auth/ - módulos para autenticação de utilizadores </li>
+ <li>blocks/ - módulos para os pequenos blocos laterais em várias páginas</li>
+ <li>calendar/ - todo o código para mostrar e gerir calendários</li>
+ <li>course/ - código para mostrar e gerir disciplinas </li>
+ <li>doc/ - documentação e ajuda do Moodle (esta página incluida)</li>
+ <li>files/ - código para mostrar e gerir ficheiros enviados</li>
+ <li>lang/ - mesnagens de texto em diferentes línguas; um diretório por
+ cada língua</li>
+ <li>lib/ - librarias do código básico do Moodle</li>
+ <li>login/ - código para criação e acesso às contas de utilizadores </li>
+ <li>mod/ - todos os módulos de disciplina no Moodle</li>
+ <li>pix/ - imagens genéricas do sítio</li>
+ <li>theme/ - pacotes temáticos (theme/skins) para mudar a aparência do
+ sítio</li>
+ <li>user/ - código para mostrar e gerir a lista de utilizadores</li>
+ </ul>
+ </blockquote>
+</blockquote>
+<h3 class="sectionheading"><a name="installer"></a>4. Execução do script de instalação
+para criar config.php </h3>
+<blockquote>
+ <p>Para executar o script de instalção (install.php), simplesmente tente aceder
+ à página principal da sua instalação do Moodle, através de um "web browser",
+ ou entre em <strong>http://o_seu_servidor/install.php</strong> directamente.</p>
+ <p>(O instalador tentará instalar uma "cookie" para a sessão. Se lhe aparecer
+ uma caixa de advertência no seu browser, deverá aceptar essa cookie!)</p>
+ <p>Moodle detectará que é preciso fazer a configuração e conduzí-lo-a através
+ de várias páginas que lhe ajudarão a criar um novo ficheiro de configuração
+ <strong>config.php</strong>. Quando o processo for concluido, Moodle tentará
+ colocar o ficheiro no local apropriado, se não conseguir poderá carregar num
+ botão para copiar o ficheiro preparado pelo instalador e enviá-lo logo para
+ o directório principal do Moodle, no seu servidor, dándo-lhe o nome
+ config.php</p>
+ <p>Ao longo do processo o instalador testará o ambiente de trabalho do seu
+ servidor Web, dando-lhe dicas para resolver quaisquer problemas que encontrar.
+ Para a maior parte dos problemas essas dicas deverão ser suficiente, mas se
+ ficar num impasse, procure informação mais para a frente neste documento, sobre
+ como resolver alguns problemas que mais comumente dificultam a instalação.
+ </p>
+</blockquote>
+<h3 class="sectionheading"><a name="webserver" id="webserver"></a>4.1 Verificação
+da configuração do servidor Web</h3>
+<blockquote>
+ <p>O primeiro que deverá conferir é que o seu servidor web está configurado
+ para usar index.php como nome de página por omissão (poderá também
+ aceitar outros nomes alternativos, por exemplo, index.html, default.htm,
+ etc).</p>
+ <p>Em Apache, isso é feito usando o comando DirectoryIndex no seu ficheiro
+ de configuração httpd.conf. O meu normalmente contém o seguinte:</p>
+ <blockquote>
+ <pre><strong>DirectoryIndex</strong> index.php index.html index.htm </pre>
+ </blockquote>
+ <p>Verifique que index.php esteja entre a lista (e preferivelmente mais
+ perto do início da lista, para aumentar a eficiência).</p>
+ <p>A seguir, <b>se estiver a usar Apache 2</b>, deverá activar a variável
+ <i>AcceptPathInfo</i>, que permitirá a passagem de argumentos na forma
+ http://servidor/ficheiro.php/arg1/arg2.
+ Isso é esencial para poder permitir apontadores relativos entre os
+ seus recursos, e também para melhorar o desempenho para os utilizadores
+ do seu sítio Moodle. Poderá activar essa variável juntado a linha que
+ se segue ao seu ficheiro httpd.conf</p>
+ <blockquote>
+ <pre><strong>AcceptPathInfo</strong> on </pre>
+ </blockquote>
+ <p>Em terceiro lugar, Moodle precisa da activação de algumas opções do PHP
+ para funcionar correctamente. <b>Na maior parte dos servidores essas
+ opções já estarão activas por omissão.</b> No entanto, alguns servidores
+ PHP (especialmente nas versões mais recentes) poderão estar configuradas
+ em forma diferente. Essas opções activam-se no ficheiro de configuração
+ do PHP (normalmente o ficheiro php.ini):</p>
+ <blockquote>
+ <pre>magic_quotes_gpc = 1 (preferred but not necessary)
+magic_quotes_runtime = 0 (necessary)
+file_uploads = 1
+session.auto_start = 0
+session.bug_compat_warn = 0
+</pre>
+ </blockquote>
+ <p>Se não tiver acesso a httpd.conf ou php.ini no seu servidor, ou se estiver
+ a usar outras aplicações que exigem outra configuração diferente, não se
+ preocupe pois poderá ainda INVALIDAR a configuração global.</p>
+ <p>Para o conseguir, deverá criar um ficheiro <b>.htaccess</b> no
+ directório principal do Moodle, com as definições que precisa. Isso só
+ funcionará no Apache, e quando a opção Overrides for permitida na
+ configuração global do servidor.
+ O conteúdo de .htacces será:</p>
+ <blockquote>
+ <pre>
+DirectoryIndex index.php index.html index.htm
+
+<IfDefine APACHE2>
+ <b>AcceptPathInfo</b> on
+</IfDefine>
+
+php_flag magic_quotes_gpc 1
+php_flag magic_quotes_runtime 0
+php_flag file_uploads 1
+php_flag session.auto_start 0
+php_flag session.bug_compat_warn 0
+</pre>
+</blockquote>
+<p>Poderá fazer outras coisas como, por exemplo, limitar o tamanho máximo
+ dos ficheiros enviados para o Moodle:</p>
+<blockquote>
+<pre>
+LimitRequestBody 0
+php_value upload_max_filesize 2M
+php_value post_max_size 2M
+</pre>
+</blockquote>
+ <p>O mais fácil será copiar o ficheiro tipo em <strong>lib/htaccess</strong>
+ e editá-lo para o adaptar às suas necessidades (o ficheiro contém algumas dicas
+ adicionais). Por exemplo, num shell do Unix:</p>
+ <blockquote>
+ <pre>cp lib/htaccess .htaccess</pre>
+ </blockquote>
+</blockquote>
+<h3 class="sectionheading"><a name="database"></a>4.2. Criação de uma base de dados</h3>
+<blockquote>
+ <p>Terá que criar uma base de dados (por exemplo "<em>moodle</em>"), vazia, no seu
+ sistema de bases de dados, junto com um utilizador especial (por exemplo
+ "moodleuser") que tenha acesso a essa base de dados (e a nenhuma outra).
+ Poderá usar o utilizador "root" se quiser, mas isso não é aconselhável
+ para um sistema activo: se os "crackers" conseguirem descobrir a
+ contrasenha de acesso à base de dados, todo o seu servidor de bases de
+ dados ficará em risco, em vez de por em risco unicamente uma base de
+ dados.
+ </p>
+ <p>Se estiver a usar um servidor de alojamento de páginas Web, provavelmente
+ terão disponível um painel de controlo com uma interface Web que lhe
+ permitirá criar a sua base de dados.
+ </p>
+ <p>O sistema <strong>Cpanel</strong> é o mais popular desses sistemas. Para
+ criar uma base de dados no Cpane,
+ </p>
+ <ol>
+ <li>Carregue sobre o ícone &quot;<strong>MySQL Database</strong>&quot;.</li>
+ <li>Escreva &quot;moodle&quot; no campo de base de dados e carregue sobre
+ &quot;<strong>Add Database</strong>&quot;.</li>
+ <li> Escreva um nome de utilizador e contrasenha (não use os mesmos dados que
+ utilizar em algum outro serviço), nos campos respectivos, e carregue em
+ &quot;<strong>Add User</strong>&quot;.
+ </li>
+ <li>Agora use o botão &quot;<strong>Add User to Database</strong>&quot; para
+ dar a esse utilizador permissões de acesso à nova base de dados.</li>
+ <li>Repare que ao nome de utilizador e ao nome da base de dados podem ter sido
+ acrescentado um prefixo com o nome da sua conta no Cpanel. Quando precisar
+ dessa informação no instalador do Moodle, deverá usar os nomes completos,
+ incluindo os prefixos.</li>
+ </ol>
+ <p>Se tiver acesso a uma shell num sistema Unix onde vai instalar o Moodle,
+ poderá fazer o procedimento escrevendo comandos na linha de comandos.
+ </p>
+ <p>A seguir mostra-se um exemplo dos comandos necessários para MySQL: </p>
+ <pre>
+ # mysql -u root -p
+ &gt; CREATE DATABASE moodle;
+ &gt; GRANT SELECT,INSERT,UPDATE,DELETE,CREATE,DROP,INDEX,ALTER ON moodle.*
+ TO moodleuser@localhost IDENTIFIED BY 'o_seu_password';
+ &gt; quit
+ # mysqladmin -p reload
+ </pre>
+ <p>E um exemplo para PostgreSQL: </p>
+ <pre>
+ # su - postgres
+ &gt; psql -c "create user moodleuser createdb;" template1
+ &gt; psql -c "create database moodle;" -U moodleuser template1
+ &gt; psql -c "alter user moodleuser nocreatedb;" template1
+ </pre>
+</blockquote>
+
+<h3 class="sectionheading"><a name="data"></a>4.3 Criação de um directório de dados</h3>
+<blockquote>
+ <p>Moodle vai precisar de algum espaço no seu disco rígido para armazenar
+ ficheiros enviados, por exemplo, os documentos associados a uma disciplina
+ e as fotografias dos utilizadores.</p>
+ <p>O instalador do Moodle tentará criar esse directório para sim, mas se não
+ conseguir, terá de ser criado manualmente por si próprio.
+ </p>
+ <p>Por razões de segurança, é conveniente que esse directório
+ NÂO seja acessível directamente através da web. A forma mais simples de
+ garantir isso, será criar o directório por FORA do directório raiz do seu
+ servidor Web; se assim não for, terá que o proteger criando nele um
+ ficheiro .htaccess com o seguinte conteúdo:
+ </p>
+ <blockquote>
+ <pre>deny from all</pre>
+ </blockquote>
+ <p>Para garantir que Moodle poderá gravar nesse directório os ficheiros
+ recebidos, confira que o servidor Web (por exemplo o Apache) tenha
+ autorização para escrever nesse directório.</p>
+ <p>Em plataformas Unix, isso implica mudar o propietário do directório para
+ algo como "nobody", "www-data" ou "apache", dando a esse utilizador permissões
+ para ler, escrever e executar no directório de dados.</p>
+ <p>Nos sistemas que usam Cpanel, pode usar o &quot;File Manager&quot; para
+ encontrar o directório, carregue nele e seleccione &quot;Change Permissions&quot;.
+ Em muitos servidores Web partilhados, provavelmente terá que prohibir
+ o acesso a todos os ficheiros por parte do seu "grupo" (para evitar
+ que outros utilizadores do servidor possam consultar ou modificar os seus
+ ficheiros), mas permitir acesso de leitura/escritura para outros
+ utilizadores (assim o servidor Web terá acesso aos seus ficheiros).</p>
+ <p>Consulte com o seu administrador do servidor Web se tiver dificuldades
+ em configurar o seu directório em forma segura. Em particular, alguns
+ alguns servidores que usam uma funcionalidade do PHP, designada de
+ &quot;Safe Mode&quot;, podem <em>precisar</em> que seja o administrador do
+ seu servidor quem crie o directório para si.</p>
+</blockquote>
+
+<h3 class="sectionheading"><a name="admin"></a>5. Visita à página de
+administração para continuar a configuração</h3>
+<blockquote>
+ <p>Após o ficheiro básico <strong>config.php</strong> ter sido criado com
+ sucesso no passo anterior, quando tentar aceder à página principal do seu
+ servidor Moodle, será redireccionado automaticamente para a página "admin"
+ para continuar com a instalação.</p>
+ <p>A primeira vez que entrar nessa página de administração ser-lhe-á
+ apresentada a licença GPL, que deverá aceitar para poder continuar com a
+ instalação.</p>
+ <p>A seguir Moodle procederá a configurar a sua base de dados criando as
+ tabelas que serão usadas para guardar os dados. Primeiro são criadas as
+ tabelas principais. Deverá ver vários comandos SQL seguidos por mensagens
+ de diagnóstico (a verde ou vermelho) do género de:</p>
+ <blockquote>
+ <p>CREATE TABLE course ( id int(10) unsigned NOT NULL auto_increment, category
+ int(10) unsigned NOT NULL default '0', password varchar(50) NOT NULL default
+ '', fullname varchar(254) NOT NULL default '', shortname varchar(15) NOT
+ NULL default '', summary text NOT NULL, format tinyint(4) NOT NULL default
+ '1', teacher varchar(100) NOT NULL default 'Teacher', startdate int(10)
+ unsigned NOT NULL default '0', enddate int(10) unsigned NOT NULL default
+ '0', timemodified int(10) unsigned NOT NULL default '0', PRIMARY KEY (id))
+ TYPE=MyISAM</p>
+ <p><font color="#006600">SUCCESS</font></p>
+ <p>...etc, seguidas por: <font color="#006600">Base de dados principal
+ configurada com sucesso.</font></p>
+ </blockquote>
+ <p class="style3">
+ Se não aparecerem essas mensagens, existirá algum problema com a base de
+ dados ou com a configuração que definiu em config.php. Verifique que PHP
+ não esteja em "Modo seguro" ("Safe Mode". Alguns servidores comerciais
+ costumam vir em modo seguro). Pode verificar as variáveis do PHP criando
+ um pequeno ficheiro que contenha <strong>&lt;?php phpinfo() ?&gt;</strong>
+ e olhando para ele com o seu navegador Web. Verifique o resultado e tente
+ acceder novamente à página de administração.</p>
+ <p>Avance até o fim da página e carregue no botão "Continuar".</p>
+ <p>Deverá agora aparecer um formulário onde pode definir mais variáveis
+ de configuração para a sua instalação como, por exemplo, a língua usada
+ por omissão, o nome do servidor SMTP, etc. Não se preocupe muito em tentar
+ configurar tudo à primeira vez - poderá regressar a esta página sempre
+ que quiser, através da interface de administração. Os valores por omissão
+ foram seleccionados para serem úteis e suficientemente seguros na maioria
+ dos servidores. Avance até o fim da página e carregue no botão
+ "Gravar alterações".</p>
+ <blockquote>
+ <p class="style3">
+ Se não conseguir avançar para a frente dessa página (e unicamente nesse
+ caso), provavelmente o seu servidor tem o problema que eu chamo "referidor
+ defeituoso" ("buggy referrer"). Isso é fácil de corrigir: simplesmente
+ desactive a opção de "formulários seguros" (secureforms"),
+ e tente novamente.</p>
+ </blockquote>
+ <p>A seguir verá mais páginas que imprimem muitas mensagens de diagnóstico
+ à medida que são configurados várias outras tabelas usadas pelos módulos
+ do Moodle. Igual que no caso das tabelas básicas, todas as mensagens de
+ diagnóstico deverá aparecer a <font color="#006600">verde</font>.</p>
+ <p>Avance até o fim da página e carregue no apontador &quot;Continuar&quot;.
+ </p>
+ <p>A página seguinte é um formulário onde pode definir parâmetros para o
+ seu sítio Moodle e para a página principal, tais como o nome, formato,
+ descrição, etc. Complete esse forumlário (poderá sempre regressar mais
+ tarde e fazer alterações) e carregue em "Gravar alterações".</p>
+ <p>Finalmente, ser-lhe-á pedido para criar um utilizador administrador de
+ alto nivel para acesso futuro às páginas de administração. Complete a
+ informação com o seu próprio nome, endereço de correio electrónico, etc
+ e carregue em "Gravar alteraçãoes". Não todos os campos são
+ indispensáveis, mas se esquecer algum campo importante, voltará a aparecer
+ o formulário.
+ </p>
+ <blockquote>
+ <blockquote>
+ <blockquote>
+ <p><strong>Tenha o cuidade de lembrar o nome de utilizador e
+ a palavra chave que seleccionou para o administrador, já
+ que eles serão necessários para acceder as páginas de
+ administração em ocasiões futuras.</strong></p>
+ </blockquote>
+ </blockquote>
+ <p class="style3">
+ (Se por qualquer razão a sua instalação for interrompida, ou aparece algum
+ erro que lhe impeça entrar com a palavra chave do administrador, normalmente
+ poderá aceder com o nome de administrador por omissão,
+ "<strong>admin</strong>", com palavra chave "<strong>admin</strong>".)</p>
+ </blockquote>
+ <p>Uma vez concluido esse processo com éxito, ser-lhe-á apresentada a página
+ principal do seu sítio. Repare no menu de administração no lado esquerdo
+ da página (os mesmos itens do menu aparecem na página de administração)
+ - esse menu só é vissível para si por ter entrado como o administrador.
+ todas as configurações que tenha que fazer a partir de agora poderão
+ ser feitas a partir desse menu; por exemplo:</p>
+ <ul>
+ <li>criação e eliminação de disciplinas</li>
+ <li>criação e modificação de contas de utilizadores</li>
+ <li>gestão de contas de docentes</li>
+ <li>mudança de opções globais como o tema, língua, etc</li>
+ </ul>
+ <p>Mas a instalação ainda não terminou! Existe ainda um passo importante
+ no processo de instalação (veja a próxima secção sobre o cron).</p>
+</blockquote>
+
+<h3 class="sectionheading"><a name="cron"></a>6. Configuração do cron
+- IMPORTANTE!</h3>
+<blockquote>
+ <p>Alguns dos módulos do Moodle precisam de verificações frequentes para
+ realizar algumas tarefas. Por exemplo, Moodle precisa verificar os
+ foruns de discusão para saber se é preciso enviar por correio cópias de
+ novas contribuições, aos assinantes do forum.</p>
+ <p>O script que executa essas tarefas de rutina encontra-se no directório
+ admin, com o nome cron.php. No entanto, ele não pode arrancar por si
+ próprio, mas será preciso instalar um mecanismo para que o script seja
+ executado a intervalos regulares (por exemplo, cada 5 ou 10 minutos).
+ Mecanismo esse que constitui as "pulsações cardíacas" necessárias para
+ que o script possa executar as tarefas definidas por cada módulo. Esse
+ tipo de mecanismo de execução periódica de tarefas é designado por
+ <strong>serviço cron</strong>.</p>
+ <p>De salientar que a máquina que execute o cron <b>não tem que ser a
+ mesma máquina onde Moodle está instalado</b>. Por exemplo, se tiver
+ um fornecedor web com limitações, que não tem o programa cron, poderá
+ decidir executar cron em outra máquina ou até no seu computador em casa.
+ O único que interessa é que o ficheiro cron.php seja invocado regularmente.
+ </p>
+ A carga imposta por esse script não é muito elevada, de maneira que 5
+ minutos é um intervalo de tempo razoável, mas se estiver priocupado
+ ao respeito pode reduzir o intervalo para 15 ou até 30 minutos. Convém
+ não usar intervalos de tempo muito compridos, já que o atraso no envio
+ de mensagens de correio pode diminuir o nivel de actividade da disciplina.
+ </p>
+ <p>Primeiro que tudo, teste o script executando-o directamente a partir
+ do seu navegador:</p>
+ <blockquote>
+ <pre>http://exemplo.com/moodle/admin/cron.php</pre>
+ </blockquote>
+ <p>A seguir, tem que instalar algum mecanismo para executar o script
+ automaticamente, a intervalos regulares.</p>
+ <h4>Em sistemas Windows</h4>
+ <blockquote>
+ <p>A forma mais simples é utilizar um pacote pequenino:
+ <a href="http://moodle.org/download/modules/moodle-cron-for-windows.zip"
+ title="Click to download this package (150k)" target="_blank"><strong>moodle-cron-for-windows.zip</strong></a>
+ que torna o procedimento bastante fácil instalando um pequeno serviço
+ do Windows. Execute-lo e esqueça que existe!</p>
+ </blockquote>
+ <h4>Em servidores de alojamento Web</h4>
+ <blockquote>
+ <p>O seu painel Web de controlo poderá ter uma página que lhe permite
+ configurar o processo cron. Por exemplo, no sistemas que usam Cpanel
+ procure um botão que diz &quot;Cron jobs&quot;. Aí poderá inserir
+ os mesmos comandos Unix descritos na secção seguinte.</p>
+ </blockquote>
+ <h4>A partir da linha de comandos em Unix</h4>
+ <p>Existem muitos programas que pode usar para chamar a página cron.php.
+ Nem todos eles poderão estar disponíveis no seu servidor.</p>
+ <p>Por exemplo, pode usar algum programa do Unix como 'wget':</p>
+ <blockquote>
+ <pre>wget -q -O /dev/null http://exemplo.com/moodle/admin/cron.php</pre>
+ </blockquote>
+ <p>Repare nesse exemplo que a saida do comando é deitada fora (para
+ /dev/null).</p>
+ <p>A mesma coisa usando lynx:</p>
+ <blockquote>
+ <pre>lynx -dump http://exemplo.com/moodle/admin/cron.php &gt; /dev/null</pre>
+ </blockquote>
+ <p>Em forma alternativa, pode usar uma versão autonoma do PHP, compilada
+ para poder ser executada directamente a partir da linha de comandos. A
+ vantagem em fazer isso será que os estatísticas de acesso ao servidor
+ não serão preenchidas com pedidos constantes do script cron.php. A
+ desvantagem é que precisará ter acesso a uma versão de PHP para linha de
+ comandos.</p>
+ <blockquote>
+ <pre>/opt/bin/php /web/moodle/admin/cron.php</pre>
+ </blockquote>
+ <h4>Utilização do programa crontab em Unix</h4>
+ <p>O que o Cpanel faz é simplesmente fornecer uma interface Web para uma
+ utilidade Unix cahamada crontab. Se tiver uma linha de comandos, pode
+ configurar o crontab directamente usando o comando:</p>
+ <blockquote>
+ <pre>crontab -e</pre>
+ </blockquote>
+ <p>e adicionando algum dos comandos acima assim:</p>
+ <blockquote>
+ <pre>*/5 * * * * wget -q -O /dev/null http://exemplo.com/moodle/admin/cron.php</pre>
+ </blockquote>
+ <p>Usualmente, o comando "contrab" abrirá o editor 'vi'. No editor 'vi'
+ acceda ao modo de inserção carregando na tecla do "i", escreva a linha
+ que acabamos de sugerir, e finalmente saia do modo de inserção carregando
+ em ESC. Pode gravar e sair se escrever ":wq", ou sair sem gravar nenhuma
+ alteração, se escrever ":q!" (sem as aspas).</p>
+</blockquote>
+
+<h3 class="sectionheading"><a name="course"></a>7. Criação de uma nova disciplina</h3>
+<blockquote>
+ <p>Agora que a sua instalação do Moodle funciona adequadamente, poderá criar
+ uma disciplina.</p>
+ <p>Seleccione "Criar uma noa disciplina" a partir da página de
+ administração (ou a partir dos enlaces na página principal).</p>
+ <p>Complete o formulário, prestantdo especial atenção para o formato da
+ disciplina. Não tem que se preocupar muito com os pormenores neste
+ momento, já que todo poderá ser alterado mais tarde pelos docentes
+ da disciplina.</p>
+ <p>Carregue em "Gravar alterações", e será conduzido para
+ um novo formulário onde poderá designar docentes para a disciplina.
+ Esse formulário só permite adicionar contas de utilizadores já existentes
+ - se quiser criar novas contas de professores, peça ao próprio docente
+ para criar uma conta pessoal (ver a página de acesso), ou criar uma conta
+ para ele por meio da opção "Adicionar novo utilizador" na página
+ de administração.</p>
+ <p>Uma vez criada, a disciplna está pronta para ser modificada e estará
+ acessível através sa secção de "Disciplinas" na página
+ principal.</p>
+ <p>Para mais pormenores sobre o processo de criação de disciplinas,
+ consulte o "<a href="./?file=teacher.html">Manual do Professor</a>"</p>
+</blockquote>
+
+<p align="center"><font size="1"><a href="." target="_top">Documentação de
+Moodle</a></font></p>
+<p align="center"><font size="1">Version: $Id$</font></p>
</body>
Please sign in to comment.
Something went wrong with that request. Please try again.