Skip to content
This repository
Fetching contributors…

Cannot retrieve contributors at this time

file 646 lines (447 sloc) 17.561 kb

Sinatra

Atenção: Este documento é apenas uma tradução da versão em inglês e pode estar desatualizado.

Sinatra é uma DSL para criar rapidamente aplicações web em Ruby com o mínimo de esforço:

# minhaapp.rb
require 'rubygems'
require 'sinatra'
get '/' do
  'Olá Mundo!'
end

Instale a gem e execute com:

sudo gem install sinatra
ruby minhaapp.rb

Aceda em: localhost:4567

Rotas

No Sinatra, uma rota é um metodo HTTP associado a uma URL correspondente padrão. Cada rota é associada a um bloco:

get '/' do
  .. mostrar algo ..
end

post '/' do
  .. criar algo ..
end

put '/' do
  .. atualizar algo ..
end

delete '/' do
  .. apagar algo ..
end

Rotas são encontradas na ordem em que são definidas. A primeira rota que é encontrada invoca o pedido.

Padrões de rota podem incluir parâmetros nomeados, acessíveis através da hash params:

get '/ola/:nome' do
  # corresponde a "GET /ola/foo" e "GET /ola/bar"
  # params[:nome] é 'foo' ou 'bar'
  "Olá #{params[:nome]}!"
end

Pode também aceder a parâmetros nomeados através do bloco de parâmetros:

get '/ola/:nome' do |n|
  "Olá #{n}!"
end

Padrões de rota podem também incluir parâmetros splat (asteriscos), acessíveis através do array params[:splat].

get '/diga/*/ao/*' do
  # corresponde a /diga/ola/ao/mundo
  params[:splat] # => ["ola", "mundo"]
end

get '/download/*.*' do
  # corresponde a /download/pasta/do/arquivo.xml
  params[:splat] # => ["pasta/do/arquivo", "xml"]
end

Rotas correspondem-se com expressões regulares:

get %r{/ola/([\w]+)} do
  "Olá, #{params[:captures].first}!"
end

Ou com um bloco de parâmetro:

get %r{/ola/([\w]+)} do |c|
  "Olá, #{c}!"
end

Rotas podem incluir uma variedade de condições correspondentes, por exemplo, o agente usuário:

get '/foo', :agent => /Songbird (\d\.\d)[\d\/]*?/ do
  "Você está a utilizar a versão #{params[:agent][0]} do Songbird."
end

get '/foo' do
  # Corresponde a um navegador não Songbird
end

Arquivos estáticos

Arquivos estáticos são disponibilizados a partir do directório ./public. Você pode especificar um local diferente através da opção :public

set :public, File.dirname(__FILE__) + '/estatico'

Note que o nome do directório público não é incluido no URL. Um arquivo ./public/css/style.css é disponibilizado como example.com/css/style.css.

Views / Templates

Templates presumem-se estar localizados sob o directório ./views. Para utilizar um directório de views diferente:

set :views, File.dirname(__FILE__) + '/modelo'

Uma coisa importante a ser lembrada é que você sempre tem as referências dos templates como símbolos, mesmo se eles estiverem num sub-directório (nesse caso utilize :'subdir/template'). Métodos de renderização irão processar qualquer string passada directamente para elas.

Haml Templates

A gem/biblioteca haml é necessária para renderizar templates HAML:

# É necessário requerir 'haml' na aplicação.
require 'haml'

get '/' do
  haml :index
end

Renderiza ./views/index.haml.

Opções Haml podem ser definidas globalmente através das configurações do sinatra, veja Opções e Configurações, e substitua em uma requisição individual.

set :haml, {:format => :html5 } # o formato padrão do Haml é :xhtml

get '/' do
  haml :index, :haml_options => {:format => :html4 } # substituido
end

Erb Templates

# É necessário requerir 'erb' na aplicação.
require 'erb'

get '/' do
  erb :index
end

Renderiza ./views/index.erb

Erubis

A gem/biblioteca erubis é necessária para renderizar templates erubis:

# É necessário requerir 'erubis' na aplicação.
require 'erubis'

get '/' do
  erubis :index
end

Renderiza ./views/index.erubis

Builder Templates

A gem/biblioteca builder é necessária para renderizar templates builder:

# É necessário requerir 'builder' na aplicação.
require 'builder'

get '/' do
  content_type 'application/xml', :charset => 'utf-8'
  builder :index
end

Renderiza ./views/index.builder.

Sass Templates

A gem/biblioteca sass é necessária para renderizar templates sass:

# É necessário requerir 'haml' ou 'sass' na aplicação.
require 'sass'

get '/stylesheet.css' do
  content_type 'text/css', :charset => 'utf-8'
  sass :stylesheet
end

Renderiza ./views/stylesheet.sass.

Opções Sass podem ser definidas globalmente através das configurações do sinatra, veja Opções e Configurações, e substitua em uma requisição individual.

set :sass, {:style => :compact } # o estilo padrão do Sass é :nested

get '/stylesheet.css' do
  content_type 'text/css', :charset => 'utf-8'
  sass :stylesheet, :style => :expanded # substituido
end

Less Templates

A gem/biblioteca less é necessária para renderizar templates Less:

# É necessário requerir 'less' na aplicação.
require 'less'

get '/stylesheet.css' do
  content_type 'text/css', :charset => 'utf-8'
  less :stylesheet
end

Renderiza ./views/stylesheet.less.

Templates Inline

get '/' do
  haml '%div.title Olá Mundo'
end

Renderiza a string, em uma linha, no template.

Acedendo a Variáveis nos Templates

Templates são avaliados dentro do mesmo contexto que os manipuladores de rota. Variáveis de instância definidas em rotas manipuladas são directamente acedidas por templates:

get '/:id' do
  @foo = Foo.find(params[:id])
  haml '%h1= @foo.nome'
end

Ou, especifique um hash explícito para variáveis locais:

get '/:id' do
  foo = Foo.find(params[:id])
  haml '%h1= foo.nome', :locals => { :foo => foo }
end

Isso é tipicamente utilizado quando renderizamos templates parciais (partials) dentro de outros templates.

Templates Inline

Templates podem ser definidos no final do arquivo fonte(.rb):

require 'rubygems'
require 'sinatra'

get '/' do
  haml :index
end

__END__

@@ layout
%html
  = yield

@@ index
%div.title Olá Mundo!!!!!

NOTA: Templates inline definidos no arquivo fonte são automaticamente carregados pelo sinatra. Digite `enable :inline_templates` se tem templates inline no outro arquivo fonte.

Templates nomeados

Templates também podem ser definidos utilizando o método top-level template:

template :layout do
  "%html\n  =yield\n"
end

template :index do
  '%div.title Olá Mundo!'
end

get '/' do
  haml :index
end

Se existir um template com nome “layout”, ele será utilizado sempre que um template for renderizado. Pode desactivar layouts usando :layout => false.

get '/' do
  haml :index, :layout => !request.xhr?
end

Helpers

Use o método de alto nível helpers para definir métodos auxiliares para utilizar em manipuladores de rotas e modelos:

helpers do
  def bar(nome)
    "#{nome}bar"
  end
end

get '/:nome' do
  bar(params[:nome])
end

Filtros

Filtros Before são avaliados antes de cada requisição dentro do contexto da requisição e podem modificar a requisição e a reposta. Variáveis de instância definidas nos filtros são acedidas através de rotas e templates:

before do
  @nota = 'Olá!'
  request.path_info = '/foo/bar/baz'
end

get '/foo/*' do
  @nota #=> 'Olá!'
  params[:splat] #=> 'bar/baz'
end

Filtros After são avaliados após cada requisição dentro do contexto da requisição e também podem modificar o pedido e a resposta. Variáveis de instância definidas nos filtros before e rotas são acedidas através dos filtros after:

after do
  puts response.status
end

Filtros opcionalmente têm um padrão, fazendo com que sejam avaliados somente se o caminho do pedido coincidir com esse padrão:

before '/protected/*' do
  autenticar!
end

after '/create/:slug' do |slug|
  session[:last_slug] = slug
end

Halting

Para parar imediatamente uma requisição dentro de um filtro ou rota utilize:

halt

Pode também especificar o status ao parar…

halt 410

Ou com um corpo de texto…

halt 'isto será o corpo de texto'

Ou também…

halt 401, 'vamos embora!'

Com cabeçalhos…

halt 402, {'Content-Type' => 'text/plain'}, 'revanche'

Passing

Dentro de uma rota, pode passar para a próxima rota correspondente usando pass:

get '/adivinhar/:quem' do
  pass unless params[:quem] == 'Frank'
  'Apanhaste-me!'
end

get '/adivinhar/*' do
  'Falhaste!'
end

O bloqueio da rota é imediatamente encerrado e o controle continua com a próxima rota de parâmetro. Se o parâmetro da rota não for encontrado, um 404 é retornado.

Configuração

Correndo uma vez, na inicialização, em qualquer ambiente:

configure do
  ...
end

Correndo somente quando o ambiente (RACK_ENV environment variável) é definido para :production:

configure :production do
  ...
end

Correndo quando o ambiente é definido para :production ou :test:

configure :production, :test do
  ...
end

Lidar com Erros

Lida-se com erros no mesmo contexto das rotas e filtros before, o que signifca que haml, erb, etc, estão disponíveis.

Não Encontrado

Quando um Sinatra::NotFound exception é levantado, ou o código de status da reposta é 404, o manipulador not_found é invocado:

not_found do
  'Isto está longe de ser encontrado'
end

Erro

O manipulador error é invocado sempre que uma exceção é lançada a partir de um bloco de rota ou um filtro. O objecto da exceção pode ser obtido a partir da variável Rack sinatra.error:

error do
  'Peço desculpa, houve um erro desagradável - ' + env['sinatra.error'].name
end

Erros personalizados:

error MeuErroPersonalizado do
  'O que aconteceu foi...' + env['sinatra.error'].message
end

Então, se isso acontecer:

get '/' do
  raise MeuErroPersonalizado, 'alguma coisa desagradável'
end

O resultado será:

O que aconteceu foi...alguma coisa desagradável

Alternativamente, pode definir um manipulador de erro para um código de status:

error 403 do
  'Accesso negado'
end

get '/secreto' do
  403
end

Ou um range (alcance):

error 400..510 do
  'Boom'
end

O Sinatra define os manipuladores especiais not_found e error quando corre no ambiente de desenvolvimento.

Mime Types

Quando utilizamos send_file ou arquivos estáticos pode ter mime types Sinatra não entendidos. Use mime_type para os registar por extensão de arquivos:

mime_type :foo, 'text/foo'

Pode também utilizar isto com o helper content_type:

content_type :foo

Middleware Rack

O Sinatra corre no Rack, uma interface padrão mínima para frameworks web em Ruby. Uma das capacidades mais interessantes do Rack, para desenvolver aplicações, é o suporte de “middleware” – componentes que residem entre o servidor e a aplicação, monitorizando e/ou manipulando o pedido/resposta (request/response) HTTP para providenciar varios tipos de funcionalidades comuns.

O Sinatra torna a construção de pipelines do middleware Rack fácil a um nível superior utilizando o método use:

require 'sinatra'
require 'meu_middleware_personalizado'

use Rack::Lint
use MeuMiddlewarePersonalizado

get '/ola' do
  'Olá mundo'
end

A semântica de use é idêntica aquela definida para a DSL Rack::Builder (mais frequentemente utilizada para arquivos rackup). Por exemplo, o método use aceita múltiplos argumentos/variáveis, bem como blocos:

use Rack::Auth::Basic do |utilizador, senha|
  utilizador == 'admin' && senha == 'secreto'
end

O Rack é distribuido com uma variedade de middleware padrões para logs, debugs, rotas de URL, autenticação, e manipuladores de sessão.Sinatra utiliza muitos desses componentes automaticamente dependendo da configuração, por isso, tipicamente nao é necessário utilizar use explicitamente.

Testando

Testes no Sinatra podem ser escritos utilizando qualquer biblioteca ou framework de teste baseados no Rack. Rack::Test é recomendado:

require 'minha_aplicacao_sinatra'
require 'rack/test'

class MinhaAplicacaoTeste < Test::Unit::TestCase
  include Rack::Test::Methods

  def app
    Sinatra::Application
  end

  def meu_test_default
    get '/'
    assert_equal 'Ola Mundo!', last_response.body
  end

  def teste_com_parametros
    get '/atender', :name => 'Frank'
    assert_equal 'Olá Frank!', last_response.bodymeet
  end

  def test_com_ambiente_rack
    get '/', {}, 'HTTP_USER_AGENT' => 'Songbird'
    assert_equal "Você está utilizando o Songbird!", last_response.body
  end
end

NOTA: Os módulos de classe embutidos Sinatra::Test e Sinatra::TestHarness são depreciados na versão 0.9.2.

Sinatra::Base - Middleware, Bibliotecas e aplicativos modulares

Definir sua aplicação a um nível superior de trabalho funciona bem para micro aplicativos, mas tem consideráveis incovenientes na construção de componentes reutilizáveis como um middleware Rack, metal Rails, bibliotecas simples como um componente de servidor, ou mesmo extensões Sinatra. A DSL de nível superior polui o espaço do objeto e assume um estilo de configuração de micro aplicativos (exemplo: um simples arquivo de aplicação, directórios ./public e ./views, logs, página de detalhes de excepção, etc.). É onde o Sinatra::Base entra em jogo:

require 'sinatra/base'

class MinhaApp < Sinatra::Base
  set :sessions, true
  set :foo, 'bar'

  get '/' do
    'Olá mundo!'
  end
end

A classe MinhaApp é um componente Rack independente que pode utilizar como um middleware Rack, uma aplicação Rack, ou metal Rails. Pode utilizar ou executar esta classe com um arquivo rackup config.ru; ou, controlar um componente de servidor fornecendo como biblioteca:

MinhaApp.run! :host => 'localhost', :port => 9090

Os métodos disponíveis para subclasses Sinatra::Base são exatamente como aqueles disponíveis via a DSL de nível superior. Aplicações de nível mais alto podem ser convertidas para componentes Sinatra::Base com duas modificações:

  • Seu arquivo deve requerer sinatra/base ao invés de sinatra; outra coisa, todos os métodos DSL do Sinatra são importados para o espaço principal.

  • Coloque as rotas da sua aplicação, manipuladores de erro, filtros e opções na subclasse de um Sinatra::Base.

+Sinatra::Base+ é um quadro branco. Muitas opções são desactivadas por padrão, incluindo o servidor embutido. Veja Opções e Configurações para detalhes de opções disponíveis e seus comportamentos.

SIDEBAR: A DSL de alto nível do Sinatra é implementada utilizando um simples sistema de delegação. A classe +Sinatra::Application+ – uma subclasse especial da Sinatra::Base – recebe todos os :get, :put, :post, :delete, :before, :error, :not_found, :configure, e :set messages enviados para o alto nível. Dê você mesmo uma vista de olhos ao código: aqui está o Sinatra::Delegator mixin sendo incluido dentro de um espaço principal

Linha de Comandos

As aplicações Sinatra podem ser executadas directamente:

ruby minhaapp.rb [-h] [-x] [-e AMBIENTE] [-p PORTA] [-o HOST] [-s SERVIDOR]

As opções são:

-h # ajuda
-p # define a porta (padrão é 4567)
-o # define o host (padrão é 0.0.0.0)
-e # define o ambiente (padrão é development)
-s # especifica o servidor/manipulador rack (padrão é thin)
-x # activa o bloqueio (padrão é desligado)

A última versão

Se gostaria de utilizar o código da última versão do Sinatra, crie um clone local e execute sua aplicação com o directório sinatra/lib no LOAD_PATH:

cd minhaapp
git clone git://github.com/sinatra/sinatra.git
ruby -I sinatra/lib minhaapp.rb

Alternativamente, pode adicionar o directório do sinatra/lib no LOAD_PATH do seu aplicativo:

$LOAD_PATH.unshift File.dirname(__FILE__) + '/sinatra/lib'
require 'rubygems'
require 'sinatra'

get '/sobre' do
  "Estou correndo a versão" + Sinatra::VERSION
end

Para actualizar o código do Sinatra no futuro:

cd meuprojeto/sinatra
git pull

Mais

Something went wrong with that request. Please try again.